Aprender diferente: dificuldade ou habilidade?








A Domlexia tem seu trabalho focado nas chamadas "dificuldades de aprendizagem".

No entanto, entendemos que o que chamamos de dificuldades de aprendizagem são apenas um jeito diferente de pensar e aprender. Estamos falando na verdade de pessoas que não possuem nenhum tipo de deficiência, mas que por conta de seu cérebro aprender e ver o mundo de forma diferenciada, apresentam dificuldades ou na leitura, ou na matemática ou na escrita ou ainda no foco e atenção; e por isso têm resultados escolares piores do que poderiam ter.


Pessoas criativas, inovadoras, com um olhar diferenciado sobre o mundo, com visões surpreendentes, que muitas vezes passam por momentos difíceis na escola.

Ou seja, essas dificuldades vem muito bem acompanhadas de habilidades como criatividade, capacidade de resolver problemas, empatia, narrativa, visão artística e outras que nós devemos potencializar e valorizar em tudo o que fazemos.


O desejo de que mais e mais pessoas se sensibilizem com a questão e possam perceber a potencialidade muito mais do que a dificuldade, é o que move a Domlexia.


Por isso trabalhamos com conteúdos, formações e ferramentas digitais para facilitar a aprendizagem de neurodiversos.

Neurodiversos é um termo cunhado a partir do TEA (transtorno do espectro autista), e engloba todos aqueles que tem um desenvolvimento neurológico diverso do considerado "típico" e portanto apresenta um visão e um pensamento diferenciado. O termo engloba também a dislexia, discalculia, disgrafia e tdah (que são foco da Domlexia), além de outros.


Para se ter uma ideia da importância da contribuição que neurodiversos podem dar ao mundo, empresas como Vodafone, Hewlett Packard (HP), Microsoft, Ford e Ernest & Young (E&Y) redesenharam seus processos de RH (recursos humanos) para contratar talentos neurodiversos. Conheça um pouco mais:


Dislexia

A mesma dislexia que traz a dificuldade na leitura e escrita, por outro lado facilita os processos criativos!

Uma forma diferente do cérebro processar informações que faz com que o aprendizado da leitura e da escrita sejam mais difíceis. Traz também uma maior dificuldade na rota de memória de trabalho (aquela que usamos para decorar as coisas do dia a dia). Essa mesma configuração cerebral diferente deixa mais fáceis processos criativos, de resolução de problemas, visão ampla, capacidade de narrativa, entre outros.

A definição mais precisa é: distúrbio específico de aprendizagem de origem neurobiológica em que o indivíduo encontra dificuldade na fluência da leitura, dificuldade nas habilidades de decodificação e soletração, resultantes de um déficit no componente fonológico da linguagem, apesar da instrução recebida adequadamente e da normalidade do nível intelectual.

Quem tem dislexia acaba tendo uma barreira a vencer para assimilar o aprendizado da leitura, pois a decodificação que o cérebro tem que fazer, correlacionando sons e escrita é mais complexa para eles. Mas isso não os impede de chegar lá e ter uma evolução plena.

Discalculia

Os conceitos matemáticos não são entendidos por todos da mesma forma! Para quem tem discalculia, o apoio visual ajuda muito.

A discalculia é o nome que damos a uma dificuldade específica da compreensão dos conceitos matemáticos, conceitos de valor, quantidade e números, sequenciar eventos, lidar com dinheiro, usar todos os passos envolvidos nas operações matemáticas, uso da tabuada, não saber usar as frações, não reconhecer padrões de adição, divisão, assim como é difícil entender conceitos relacionados a tempo, como contar dias, semanas, meses.

​Como a dislexia é um transtorno neurobiológico de aprendizado e também traz criatividade, visão ampla e outras habilidades.

Para quem tem discalculia o apoio visual através de desenhos, gráficos e cores é fundamental. Sempre que possível, tangibilizar os conceitos com a utilização de materiais concretos também contribui para o aprendizado.

Disgrafia

A escrita é uma experiência da coordenação motora fina. Para alguns esse processo é mais complexo, é aí que entra a disgrafia.

A disgrafia é um transtorno da psicomotricidade, que afeta a qualidade da caligrafia, neste caso, estamos falando da legibilidade da escrita, da sua organização na página, como tamanho da letra, espaçamento das palavras, etc. E essas são suas principais características.

Treino aqui é a palavra chave, o que não significa apenas caligrafia, outras atividades que estimulam a coordenação motora fina também são super indicadas.

TDAH

Foco e atenção sustentada, para todos os assuntos e atividades. Quem tem déficit de atenção tende a divagar, a se perder nos pensamentos. A concentração exige esforço.

O déficit de atenção ou tdah é caracterizado pela dificuldade de sustentar a atenção e o foco por um período razoável.

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas. As principais características são a desatenção, inquietude e impulsividade.

​Em alguns países a hiperatividade é tratada de forma separada, mas aqui no Brasil a desatenção e a hiperatividade são vistas em conjunto.

Pequenos intervalos entre as atividades são importantes para quem tem TDAH, outras estratégias para melhorar a concentração e ganhar foco são também utilizadas.

Muitas pessoas tem associado o hiperfoco, ou seja apesar da desatenção, alguns assuntos ou temas são capazes de gerar momentos de um grande foco.


SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Domlexia 2020

#TODOSTEMOSDOM

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram

ENTRE EM CONTATO

contato@domlexia.com.br

Florianópolis - Santa Catarina